Em todo início de prática usualmente entoamos o Matra a Patanjali, que foi originalmente apresentado por Bhojavritti nos seus comentários sobre os Yoga Sutras. Patanjali foi um sábio que viveu na Índia antiga. A ele é atribuída a autoria do Yoga Sutras, o texto que contém as bases da Filosofia do Yoga Clássico.

Entoar o mantra no início das práticas é uma forma de reconhecer a sabedoria do sábio Patanjali que continua viva até os dias de hoje por meio da nossa prática. Ao relembrar desse grande sábio do passado podemos nos entregar completamente para a prática, assim entoar o matra a Patanjali traz o aspecto sagrado da prática de Yoga.

O Mantra a Patanjali

YOGENA CITTASYA PADENA VACAM
MALAM SARIRASYA CA VAIDYAKENA
YOPAKAROTTAM PRAVARAM MUNINAM
PATANJALIM PRANJALIR ANATO’SMI
ABAHU PURUSAKARAM
SANKHA CARKRASI DHARINAM
SAHASRA SIRASAM SVETAM
PRANAMAMI PATANJALIM

Tradução do Mantra a Patanjali

Inclino-me perante o mais nobre dos sábios, Patanjali, que nos deu o yoga para a serenidade e santidade da mente, gramática para a pureza da fala e medicina para saúde perfeita. Inclino-me diante de Patanjali, encarnação de Adisesa, cujo corpo superior tem forma humana, que segura uma concha e um disco, que é coroado por uma serpente de mil cabeças.

Áudio do Matra a Patanjali