Entrevista com Analu Matsubara ao Jornal da Vila!

Em entrevista ao Jornal da Vila, Analu Matsuabara respondeu a várias perguntas sobre o método Iyengar, sobre sua trajetória enquanto praticante e professora do método, bem como sobre o cenário do Iyengar Yoga no mundo e principalmente na área médica. Confira!

Educada no exterior para ser administradora dos negócios da família, Analu Matsubara se apaixonou pelo Iyengar Yoga em 1999. Certificou-se internacionalmente pelo Ramamani Iyengar Yoga Institute, em Puna, na Índia, e fundou, em 2005, o Studyo Iyengar Yoga São Paulo. Desde estão, tornou-se uma das maiores autoridades do método no país, aprofundando-se nos estudos, dando aulas, formando professores e trazendo os mais notáveis mestres para o Brasil, com a missão de difundir a ciência do mestre B. K. S. Iyengar, falecido há 3 anos e grande difusor da prática no Ocidente

Pedaço da Vila: O que é o Iyengar Yoga?

Analu Matsubara: O Iyengar Yoga é uma das várias modalidades do yoga, fundamentada nos ensinamentos do mestre B.K.S Iyengar.  Seu método sempre buscou alcançar qualquer pessoa, mesmo aquela com dificuldades de fazer exercícios físicos. Os asanas (respiração e postura) são ensinados com um grande rigor técnico e foco no alinhamento. O aluno iniciante ganha rapidamente vitalidade levando fluxo de prana (bioenergia, oxigênio) às suas células, despertando a consciência corporal e melhorando a sua saúde de forma integral.

Pedaço da Vila: Quando o Iyengar Yoga chegou ao Brasil?

Analu Matsubara: A única entidade brasileira reconhecida pelo Ramamani Iyengar Institute, em Puna, na Índia, é a Associação Brasileira de Iyengar Yoga – ABIY. Fundada em 2006, é composta por praticantes e professores que seguem os ensinamentos do mestre B.K.S. Iyengar. Antes, os professores Kalidas Nuyken e Noemia Wainer já se aprofundavam nos estudos, ensinando o método no Brasil.

Pedaço da Vila: O Iyengar Yoga tem um mestre contemporâneo. Isso ajudou a difusão da metodologia no Ocidente?

Analu Matsubara: Até os anos de 1960, a ioga era uma atividade tão esotérica aos olhos do Ocidente quanto o sufismo ou a cabala. B. K. S. Iyengar, falecido há 3 anos, e é um dos poucos iogues cujo título de mestre não soa distante da nossa cultura.  Ele, que morreu aos 95 anos, formou discípulos, angariando a cada ano que passa mais e mais praticantes. A vida longa dedicada exclusivamente à prática e estudos fez com que seu método “vivo” seja hoje praticado por milhares de adeptos. Segundo a revista Times Magazine: “o senhor Iyengar certamente é quem mais fez para que o yoga alcançasse o Ocidente”.

Pedaço da Vila: O que diferencia essa modalidade das outras?

Analu Matsubara: O Iyengar Yoga incentiva o uso de materiais externos durante a prática dos asanas, possibilitando que determinados obstáculos possam ser vencidos com o uso desses props (materiais de apoio). Com isso, o método aumenta a confiança do aluno, bem como a compreensão do alinhamento do seu corpo, ampliando a possibilidade de movimento. Essa permanência no asana, faz com que as posturas mais complexas possam ser desfrutadas com segurança. O foco no alinhamento físico somado ao rigor técnico e ao uso de props, fazem do Iyengar Yoga uma modalidade segura e terapêutica que pode ser praticada por pessoas que sofrem de problemas físicos. Todo o perfeccionismo desse método contribui para o desenvolvimento de um corpo saudável e firme, com mente estável e espírito colaborativo.

Leia o restante da entrevista

Menos esclerose com mais ioga – entrevista com Analu Matsubara para a Revista Viva Saúde

Em entrevista concedida para a Revista Viva Saúde (texto de Leonardo Valle, fotos de Alan Teixeira), a professora Analu Matsubara falou sobre o que é o Ioga, sobre estudos científicos recentes que demonstram a eficiência do método Iyengar na melhora dos sintomas de pacientes com Esclerose Múltipla.

“Quando falamos em alinhamento em ioga, falamos sobre alinhar os nervos motores com os sensoriais”, explica Ana Luisa Matsubara.

No fim Analu ainda deixou uma sequencia de posturas indicadas para promover a saúde do sistema nervoso, principalmente para pacientes com Esclerose Múltipla.

 

A matéria está na edição 174 da Revista Viva Saúde (Clique aqui para ler o texto).

 

 

Yogi Zain - Iyengar Yoga - Fortalecimento Abdominal

Entrevista com Yogi Zain no Jornal da Vila!!

Yogi Zain - Iyengar Yoga - Backbends - Extensão para trás com cadeira

Pela primeira vez no Brasil, Yogi Zain, professor certificado de Iyengar Yoga, irá ministrar dois workshops no pedaço nos dias 2 e 3 de dezembro no Estudyo Iyengar Yoga São Paulo. De Oakland, na Califórnia, Yogi conversou por e-mail com o Pedaço da Vila sobre seus ensinamentos da prática como voluntário no presídio de San Quentin e as expectativas para o seu workshop na Vila Mariana

Pedaço da Vila: Por que você decidiu ensinar yoga em uma prisão? Desde quando você está envolvido neste trabalho como voluntário?

Yogi Zain: Aconteceu por destino. Eu estava num evento de meditação comunitária com um amigo e, ao final dele, vi um anúncio procurando um “instrutor de ioga masculino, preferencialmente negro”, para trabalhar na prisão de San Quentin. Como eu me encaixava no perfil e estava interessado em ter minha primeira experiência como professor, resolvi me inscrever. Enviei um e-mail para James Fox, o fundador do Prision Yoga Project. Nós nos conhecemos e ele imediatamente conseguiu uma autorização para eu entrar na prisão e aprender com ele. Ainda lembro-me do meu primeiro dia: fiquei muito ansioso e animado por chegar à prisão e praticar yoga com presos. Todos me trataram com respeito e eu me senti seguro. Durante os primeiros meses, eu praticava junto com eles, enquanto o James dava as aulas. Quando ele ficou mais atarefado com o seu Prison Yoga Teacher Trainings, nos Estados Unidos e em todo o mundo, finalmente me ofereceu sua classe para eu ensinar regularmente. Estou dando aulas lá desde o verão de 2012. Eu decidi ensinar yoga na prisão como parte do meu seva (arte do serviço altruísta) e sadhana (prática). É uma experiência gratificante compartilhar o dom do yoga com um grupo que de outra forma não teria acesso a ela. Lembro de que James Fox nunca foi muito interessado em ensinar yoga nos estúdios e que seu interesse era transmitir o yoga para populações mais vulneráveis e com traumas. Fui muito inspirado pelo seu trabalho e queria continuar a missão que ele começou.

Pedaço da Vila: Como a prática do yoga ajuda os prisioneiros?

Yogi Zain: O yoga ajuda os homens a se centrarem e, con-sequentemente, a terem alguma consciência. A prática do Iyengar Yoga dá vitalidade para o corpo físico, consciência e cuidado para a mente, força e resiliência para o emocional e ajuda a elevar o nível espiritual. O yoga ajuda a reconectar sua mente, coração e corpo para sobreviver melhor ao ambiente da prisão. Os iogues presos têm espaço para resolver seus próprios traumas dentro e fora das paredes da prisão. Uma prática disciplinada de yoga ajuda a começar a respeitar a si próprio e aos outros.

Pedaço da Vila: Como você notou a transformação deles?

Yogi Zain: Ao longo do tempo eu tive um número de

estudantes relatando uma transformação positiva logo após a aula, e, especialmente, após seis meses a um ano de prática. Muitos relatam que o yoga os ajudam a dormir melhor e a lidar melhor com o estresse e a ansiedade que experimentam na prisão. O yoga cria espaço para a autorreflexão. A prática os ajuda a assumir a responsabilidade pelo mal que fizeram aos outros, a eles e às suas vítimas. Os presos mudam ao longo do tempo e se comportam de forma diferente porque são tratados de forma diferente. O National Council on Crime and Delinquency (Conselho Nacional de Crime e Delinquência – NCCD), uma organização americana sem fins lucrativos de pesquisa social, fez um estudo sobre o programa de James Fox em 2012. Eles descobriram que os participantes do programa tinham mais controle emocional, temperamento mais calmo, melhor tomada de decisão racional e alívio de dor crônica. Quando perguntado o que o yoga traz para eles, a maioria responde: paz e tranquilidade.

Pedaço da Vila: O que você aprendeu com este trabalho voluntário e que tipo de aulas você passa para seus alunos regulares?

yoga hipertensão

Iyengar Yoga para Hipertensão

RESUMO DA PESQUISA SOBRE YOGA PARA HIPERTENSÃO

Hipertensão (pressão arterial alta) já foi vinculada ao aumento do risco de derrames, doenças cardiovasculares e no fígado. De acordo com o Centro Nacional para Estatísticas de Saúde quase um a cada três adultos (maiores de 18 anos) nos Estados Unidos sofrem de hipertensão; essa taxa aumenta com a idade, alcançando mais de 40% dos adultos acima de 40 anos. Resultados de um estudo entre adultos com pré-hipertensão e hipertensão no estágio 1 demonstraram que a prática de Iyengar Yoga por 12 semanas produz melhorias clínicas significativas nos níveis de pressão arterial.

Sintomas de hipertensão medidos nas semanas 6 e 12 foram comparados às medidas tomadas antes de iniciar o programa. As medições abaixo mostraram significativa melhora na 12ª semana:

  • pressão sanguínea sistólica mais baixa (quando o coração bate)
  • pressão sanguínea diastólica mais baixa (quando o coração descansa entre batidas)
  • pressão arterial média mais baixa

Não houve melhora significativa na 12ª semana para aqueles recebendo apenas aconselhamento sobre dieta e estilo de vida.

MÉTODO

Adultos com pré-hipertensão ou hipertensão no estágio 1 foram aleatoriamente selecionados e colocados em um grupo que receberia um programa estruturado de 12 semanas de Iyengar Yoga (IY) ou em um grupo recebendo atendimento especializado tradicional (AET). Um total de 57 pacientes completaram o estudo, 31 no grupo AET e 26 no grupo IY.

O grupo IY participou de duas aulas de 70 minutos por semana durante as primeiras seis semanas. Durante as últimas seis semanas eles participaram de uma aula por semana e receberam um vídeo de 25 minutos para prática em casa. Todas as aulas foram guiadas por um Professor de Iyengar Yoga Certificado (CIYT – sigla em inglês) e seguiram uma sequência desenvolvida com supervisão de BKS Iyengar.

O grupo AET participou de quatro aulas de uma hora ministradas por um nutricionista registrado. Receberam, ainda, duas ligações de 30 minutos. As aulas eram estruturadas para motivar e fornecer informações sobre dieta e gerenciamento de estilo de vida focado em reduzir a pressão arterial.

yoga hipertensão**

SEQUÊNCIA DE POSTURAS de YOGA PARA HIPERTENSÃO

Savasana

Cross bolsters

Supta Baddha Konasana

Supta Swastikasana

Bharadvajasana

Pavannamuktasana

Adho Mukha Virasana

Adho Mukha Swastikasana

Adho Mukha Svanasana

Uttanasana

Janu Sirsasana

Upavistha Konasana

Paschimottanasana

Savasana

Ujjayi Pranayama

PARA MAIS INFORMAÇÕES

Essas informações são um resumo de “Iyengar Yoga versus Enhanced Usual Care on Blood Pressure in Patientes with Prehypertension to Stage I Hypertension: a Randomized Controlled Trial.” (livre tradução: “Iyengar Yoga e Atendimento Especializado Tradicional em Pacientes com Pré-Hipertensão e Estágio 1 de Hipertensão: um estudo controlado e randomizado”). Cohen, D. L., et al. (2011).

Evidence-based Complementary and Alternative Medicine, 2011 (#546428).

Disponível nesse link.

Para encontrar um Professor Certificado em Iyengar Yoga (CIYT) na sua região, clique em “Find a teacher” em IYNAUS.org .

* Nota dos tradutores: IYNAUS.org é a associação nacional de Iyengar Yoga dos EUA. Mantemos a orientação da publicação original. No Brasil temos a Associação Brasileira de Iyengar Yoga – ABIY.
** A imagem utilizada não está no artigo original.

 

Yoga_kurunta_Marcia_monroe_escoliose

Entrevista com Márcia Monroe no Jornal da Vila

Abaixo confira a matéria que saiu no jornal Pedaço da Vila sobre o Workshop com Márcia Monroe no ESIYSP

Posições celestiais

Convivendo com uma severa escoliose desde sua adolescência, a professora de Iyengar Yoga Márcia Monroe chegou à maturidade com agilidade, liberdade e sem dores. Em outubro, estará no Estudyo Iyengar Yoga São Paulo para compartilhar seus estudos, experiências e as posturas celestiais no Yoga Kurunta que aprendeu com o próprio mestre Iyengar e que garantiu a ela viver com qualidade de vida

O que é a escoliose e como ela interfere na saúde?

Escoliose é uma assimetria espinhal que envolve três planos espaciais: o plano vertical (uma flexão lateral ou uma curva para o lado); o plano sagital (antero-posterior, compreendendo padrões de flexão e extensão); e o plano horizontal (o plano de rotação). Devido à trimensionalidade surge a escoliose, considerada uma patologia complexa como também progressiva, o que resulta em problemas não só de origem ósseo muscular, mas, também, dos sistemas respiratório, orgânico e nervoso. A escoliose é classificada como estrutural ou funcional. A estrutural é quando a assimetria é registrada nos ossos ou vértebras da coluna vertebral. Já a escoliose funcional ou postural, ou os casos de assimetrias, ocorrem fora da coluna vertebral. Sua origem vem de hábitos cotidianos, como: carregar pesos unilateralmente e sentar assimetricamente por muito tempo, o que pode resultar no encurtamento de uma perna, que requer compensações dos músculos pélvicos e posturais. A escoliose mais comum é a idiopática, ou seja, sem uma causa especifica: 85% da população está nessa categoria. Ela pode ter origem na infância, pré-adolescência ou na adolescência, a mais comum. Existem novas categorias de escoliose e assimetrias por causas secundárias, como a degeneração óssea, hérnias de disco e osteoporose.

Como você conseguiu atenuar sua escoliose?

Fui diagnosticada na adolescência; minha tia notou uma discrepância no contorno das minhas costas. A partir daí, começaram as várias visitas a ortopedistas: usei colete de Milwaukee, feito na ABBR, no Rio de Janeiro. Durante a maior parte do dia sentia restrição corporal e respiratória e desisti do uso do colete, devido aos sinais de piora enviados pelo meu corpo. Depois, sugeriram a intervenção cirúrgica. Mas, após ouvir o relato do ortopedista sobre o procedimento cirúrgico e o pós-operatório, decidi viver com a escoliose e tentar entender e conviver de forma inteligente com um corpo assimétrico, mas, funcional. Segui linhas de tratamentos não tradicionais abrangendo biomecânica, terapias somáticas com Feldenkrais e Body Mind Centering. Nessa época, colocava o Yoga em outro espaço, talvez metafísico, vendo a escoliose como um aprendizado para minha própria evolução. Grande parte de minha vida foi dedicada aos estudos constantes sobre as assimetrias e o Yoga, e aprendi a adaptar minha prática de acordo com a maturidade. Em Nova York, onde resido, sou convidada por fisioterapeutas especialistas em escolioses, associados aos melhores hospitais ortopédicos em NY, para explicar esse modelo em cursos especializados na técnica de Schroth e SEAS. Atendo às conferências médicas cientificas, como também apresento imagens das posturas de Iyengar Yoga e Reeducacao somática de movimento para a escoliose. Tudo isso sempre atribuindo meu trabalho e aprendizado ao mestre BKS Iyengar, com quem aprendi na prática a trabalhar com as curvas escolióticas. Pratico Yoga diariamente.

Yoga_kurunta_Marcia_monroe_escoliose

A senhora vive normalmente?

Apesar da significante escoliose que carrego, sinto liberdade, agilidade, e não tenho dores. Consegui atenuar minha escoliose através do sexto sentido, intuição ou propriocepcão que foram gerados pelas posturas. A sabedoria que o Yoga oferece é subjetiva às palavras, que são limitadas. O corpo, a mente e o ser sentem os espaços criados através das posturas e da respiração. Esse processo somado à experiência da prática, leva o estudante a integrá-la no seu dia a dia.

De que forma adaptou essa experiência para ajudar outras pessoas com o mesmo problema em suas aulas de Iyengar Yoga?

Através de uma vida de estudos, viagens anuais à Pune, Índia, onde o Instituto de Iyengar Yoga está localizado, e à pratica – estes são os frutos que transmito aos meus estudantes. No sistema de Yoga Iyengar usa-se acessórios ou suportes que facilitam ao praticante experimentar os diversos benefícios das posturas. No caso da escoliose, as posturas são modificadas e adaptadas através de vários tipos de suportes que variam de acordo com o padrão escoliótico do indivíduo. Isso resulta em sentimentos de simetria, expansão, bem-estar e equilíbrio. Ofereço workshops para professores e alunos portadores de escoliose e ainda escrevi o livro Yoga for Scoliosis a healing journey, que está em inglês, e que foi traduzido para o chinês e coreano.

O que pretende apresentar no workshop Posturas Celestiais que irá fazer em outubro em São Paulo?

No sistema de yoga Iyengar, a mesma postura pode ser modificada através de vários apoios e acessórios, criando assim possibilidades e aprendizado para o praticante. Nesse workshop serão ensinadas posturas introdutórias, modificadas através do Yoga Kurunta (yoga com cordas fixadas na parede). Denomino Postura Celestial pelo fato de que as cordas proporcionam trações passivas, gerando um sentimento de espaço e expansão, e maior fluxo respiratório. Peço aos praticantes que queiram participar deste workshop que tenham experiência de seis meses em Yoga e que estejam com boa condição física para explorar os benefícios do Yoga Kurunta.

O mestre B.K.S Iyengar, de quem recebi ensinamentos direto, dizia: “The body is my temple, and the asanas are my prayers” (Meu corpo é meu templo e minha respiração minha oração). Ele mencionava, informalmente, nas práticas de grupo de estudantes, incluindo a família Iyengar, assistentes e professores, certas famílias de posturas como celestiais ou aristo-cratas. Durante as aulas ou na prática pessoal, por exemplo, ouve-se constantemente o comando para “abrir o peito”, e certas famílias de posturas oferecem essa abertura e senti-mento de expansão, coragem, e possibilidades de novos horizontes. Através da prática impri-mimos em nossa percepção corporal novas possibilidades de ascensão, espaço interno, liberdade e divindade. O Yoga Kurunta – ou o uso do apoio das cordas – através de certas sequências, ajuda a quebrar bloqueios mentais, transcender sentimentos de dualidade e a vencer medos. Com a prática, acessa a liberdade corporal, amplifica a orientação espacial e a fluidez. O Yoga Kurunta, com as cordas, e todos os outros acessórios usados no sistema Iyengar, são utilizados para proporcionar as posturas terapêuticas, beneficiando as diversas faixas etárias e os casos especiais. São janelas que se abrem para o céu desvendando a luz do Yoga.

Yogi Zain - Iyengar Yoga - Fortalecimento Abdominal

Workshop com Yogi Zain no Brasil!

É com grande alegria que anunciamos que esse ano de 2017 será fechado com chave de ouro! o Estudyo Iyengar Yoga São Paulo (ESIYSP) vai receber em Dezembro o grande yogui Zain Syed. 

Zain é famoso pelo seu canal no YouTube, onde divulga regularmente vídeos ensinando algumas sequências de Iyengar Yoga.

Os workshops serão nos dias 2 e 3 de Dezembro e prepararão o corpo e a mente pra essa época de fechamento de ciclos, reencontros e transformações.

Para o dia 2 se Dezembro o tema é: “Mobilidade com Estabilidade“. No dia 3 de Dezembro a prática conduzida por Zain será inspirada por: “Abra seu coração e viva com alegria“.

Mobilidade com Estabilidade

No sábado, 2 de Dezembro, Yogi Zain compartilhará uma prática para ajudar os praticantes a aumentar a força nas pernas, a estabilidade do quadril e a força abdominal para que possam se mover com leveza, facilidade e estabilidade. A palavra chave é estabilizar enquanto mobiliza.

Nós somos desenhados para nos mover! Na vida moderna, devido ao nosso estilo de vida acabamos ficando sentados no escritório por muitas horas, sentados em nossos carros por muitas horas ou até mesmo de pé num balcão por muitas horas. Assim nossos músculos e ossos se enfraquecem e nossa estabilidade para nos mover diminui. Assim, trazer a inteligência para o corpo por meio de desfazer os padrões de vida sedentários farão o corpo e a mente menos estagnado.

Explore seu core!

Nesse dia faremos uma miríade de fortalecimento abdominal usando nossas pernas e braços de forma a aplicar esse alinhamento para nos movermos com leveza nos ásanas.

Yogi Zain - Iyengar Yoga - Fortalecimento Abdominal

Abra seu coração e viva com alegria

No domingo, 3 de Dezembro, o workshop será voltado para abertura de peito, abertura de coração e extensões para trás (backbends, em inglês). Nesse dia os praticantes podem esperar experimentar aberturas na coluna vertebral e aprender como entrar de forma seguro e efetiva em extensões para trás desde as mais fáceis até as mais exigentes. Todos terão algo para praticar.

Esse workshop é particularmente recomendado para pessoas que sofrem de depressão uma vez que as extensões para trás estimulam o sistema nervoso central e aumentam a habilidade da pessoas em lidar com o estresse. A prática regular dos backbends ajudam a aliviar e prevenir o cansaço mental, dores de cabeça hipertensão e exaustão nervosa. Essa categoria de ásanas energiza o corpo e a mente, sua prática regular é inestimável para pessoas que sofrem de depressão.

Os alunos podem esperar aprender os aquecimentos corretos para backbends básicos e avançados. Materiais (props) como a cadeira e almofadões serão utilizados para manter as posturas por mais tempo.

Yogi Zain - Iyengar Yoga - Backbends - Extensão para trás com cadeira

Mensagem do Yogi Zain para os brasileiros

Informações sobre o workshop

O workshop será conduzido em inglês com tradução para o português.

Inscrições para apenas um dia poderão ser avaliadas.

Valores

  • Até dia 31 de Outubro: R$ 320
  • Após dia 31 de Outubro: R$ 380

Serão aceitos cancelamentos até 15 dias antes do curso com devolução de 70% do valor do curso.

Horário

  • Sábado das 8h30 – 12h30
    Posturas em pé e jumpings e Surya Namaskars (salvação ao sol)
  • Domingo das 8h30 – 12h30
    Aberturas de peito e posturas restaurativas

Ficha de Inscrição

Posturas Celestiais - Marcia Monroe

Posturas Celestiais – Yoga e Kurunta – Workshop com Márcia Monroe

Posturas Celestiais - Marcia Monroe

Nós do Estudyo Iyengar Yoga São Paulo (ESIYSP) estamos muito felizes em receber pelo terceiro ano consecutivo a professora Márcia Monroe. Pra quem não sabe, Márcia Monroe é uma professora de Iyengar Yoga que vive nos Estados Unidos, autora do livro “Iyengar Yoga e Escolise” (sem tradução para o português é o momento), aluna direta de BKS Iyengar.

Nesse ano Márcia traz ao ESIYSP o tema: “Posturas Celestiais – Yoga e Kurunta”. Márcia conta que Guruji Iyengar chamava as invertidas realizadas nas kuruntas de posturas celestiais porque promovem aberturas na região peitoral e desafiam a gravidade.

Esse workshop faz parte de uma série de cursos que Márcia Monroe tem oferecido no Brasil. Ano após ano ela retorna trazendo novas abordagens e soluções para quem que possamos alcançar uma coluna vertebral saudável.

Márcia Monroe

Marcia Monroe, professora de Iyengar Yoga

Marcia Monroe é certificada como professora pelo sistema Iyengar Yoga.
Anualmente viaja para a Índia, dando continuidade aos seus estudos com a família Iyengar.
Detém certificação nos métodos somáticos de Body Mind Centering® e Feldenkrais®.
É formada pela Universidade de Nova York em Dance and Movement Studies, e registrada como Somatic Movement Therapist nos EUA (RSMT-ISMETA).

Informações sobre Posturas Celestiais com Márcia Monroe

  • Data: 14 e 15 de Outubro de 2017
  • Local: ESIYSP (mapa aqui)
  • Horário: Sábado 9:00h as 12:00h/ 14:00h as 16:00h – Domingo 9:00h as 12:00h
  • Valor: R$290,00
  • Pré-requisito: mínimo 6 meses de prática em Iyengar Yoga
  • Vagas: 24

Faça sua inscrição

Devido ao limitado número de vagas as inscrições serão somente via email ou telefone. Contatos:
Telefone: 11 987 673 170
[email protected]

Namastê!

Porque estamos preocupados com o período menstrual no Iyengar Yoga?

por Shayna Ogden

Todo professor de Iyengar Yoga costuma perguntar no início de cada aula quem está menstruando. Por alguma razão, para algumas pessoas isso pode ser estranho ou motivo de vergonha. Não é esse o objetivo.

No yoga é aconselhável que as mulheres que estão menstruando pratiquem uma sequência específica para a menstruação. A razão disso é que nessa fase o corpo e a mente se encontram em um estado diferente. O corpo está direcionando toda sua energia para descamar as paredes internas do útero. Isso faz com que muitas mulheres se sintam fisicamente desconfortáveis, sofrendo com cólicas abdominais, dores nas costas, inchaço e sensibilidade nos seios, bem como um sentimento generalizado de fadiga e esgotamento. O cérebro, às vezes, sente-se como vibrando ou pulsando e a mulher pode sentir-se irritável e emocional.

A prática correta de uma sequência adaptada ao período menstrual pode auxiliar no alívio destas condições. Como Geeta Iyengar afirma:

“do dia em que a menstruação começa, até o dia em que ela acaba (…) a praticante deve focar-se na execução de asanas que não obstruam o fluxo menstrual e ajudam a mulher a se manter saudável. Somente asanas que não esgotem sua energia ou tragam distúrbios hormonais devem ser executados”

Posições que não devem ser executadas durante o período menstrual

1 – Inversões

Todas as inversões são contraindicadas durante a menstruação – ou seja, não devem ser praticadas até que o sangramento tenha acabado. Isso porque o endométrio deve sair do corpo como um material de descarte. De acordo com BKS Iyengar, no Ayurveda:

“tudo que deve ser posto para fora deverá ser posto para fora e não retido ou mantido dentro. Você não deve reter urina, fezes, muco, pois são substâncias que devem ser postas para fora. Esses são chamadas de mala (lixo), e devem ser excretados. Eles abrem caminho para doenças se retidos.”

Inversões vão impedir ou retardar o fluxo deste material de descarte do corpo. Se inversões forem feitas regularmente durante a menstruação, em especial a longo termo, podem comprometer a menstruação e a saúde reprodutiva, podendo levar a condições como fibrose, cistos, endometrioses ou até mesmo câncer.

2 – Asanas abdominais, torções fechadas, body knottings e equilíbrio sobre as mãos

Da mesma maneira, qualquer posição que pressione ou constrinja o abdômen não deve ser executada durante o período menstrual. Esse grupo de posições inclui asanas abdominais, torções fechadas, body knotting (perna atrás da cabeça), extensões sem suporte e equilíbrio sobre as mãos. Essas posições só endurecerão mais o abdômen e os órgãos reprodutivos, aumentando o calor do corpo. O efeito será aumentar ou piorar os sintomas como cólicas, agravar o sistema nervoso criando irritabilidade e aumentar a duração das regras. Quando os órgãos reprodutivos são endurecidos repetidamente durante os anos, através da prática contínua destas posições durante a menstruação (ou pela prática de qualquer exercício extenuante durante o período menstrual, assim como corrida, bicicleta, academia, etc) resultados negativos podem surgir para a menstruação e o sistema reprodutivo, tal como listado acima.

Menstruação Anormal

Curiosamente, estima-se que cerca de 30% das mulheres têm uma saúde menstrual pobre. Isso significa ter um ciclo menstrual fora do normal, incluindo: excesso de ou sangramento pesado, pouco sangramento, ausência de sangramento, sangrar por mais de 10 dias, sangramentos irregulares ou dolorosos. Se esse é seu caso, fale com seu professor sobre isso. É possível prescrever uma sequência específica para cada pessoa para melhorar sua saúde menstrual e reprodutiva. A prática deve atender as necessidades dos dias fora e dentro do período menstrual.

Sequências para o Período Menstrual

Dias 1 – 2 do Ciclo

Durante o primeiro e segundo dias de sangramento, os sintomas costumam ser mais graves. A sequência da prática para esses dias deve ser restaurativa, com posturas deitadas com suporte, flexões com suporte e alternativas às inversões sobre bancos ou bolsters, também com suporte, seguidas de savasana. Quando seguidos corretamente e mantidos pelo tempo necessário, os asanas dessa sequência podem aliviar os sintomas. As virilhas relaxam o que reduz as cólicas abdominais. As pernas descansam o que aquieta o cérebro. O sistema nervoso se acalma e resfria. As posições são de descanso e a mulher se sente restaurada ao final da sequência.

Dias 3 – 5 do Ciclo

Conforme o fluxo diminui, em geral entre os dias 3 e 5, o praticante pode querer reintroduzir as posições em pé com suporte. O propósito de utilizar o trestler (cavalo) é dar suporte durante a execução dos asanas e garantir que o peito e abdomen estão abertos. O trestler também é utilizado para o mesmo fim por estudantes que não estão menstruando, mas se sentem fracos ou estão lesionados ou doentes, como forma de melhorar a prática.

Durante as aulas o professor geralmente pede para que as mulheres que estão menstruando fiquem próximas a ele para que as instruções específicas possam ser dadas no que diz respeito ao uso do trestler (cavalo) nas posições em pé, o uso de outros acessórios para suporte e o tempo de permanência.

Prática para o resto do mês

Durante os dias de não sangramento a mulher pode continuar com sua prática regular de todos os grupos de asanas (posições em pé, flexões, extensões, torções, abdominais e inversões). Se todos os grupos forem praticados, incluindo os de flexões do tronco e trabalhos de quadril, tais como padmasana, combinados com uma prática correta durante a menstruação, é possível chegar a uma melhora geral da saúde menstrual, incluindo períodos mais curtos, menos dolorosos e regulares.

Então, durante seu próximo ciclo, separe seu tempo para cuidar de si e praticar corretamente. Informe seu professor de sua condição durante as aulas. Atenda suas necessidades específicas nesse período praticando a sequência sugerida abaixo. Depois analise como foi, se você se sentiu melhor ou diferente e se seu ciclo mudou ou melhorou com o passar do tempo.

Sequência para Dias 1 – 2

supta_virasana_periodo_menstrual_yoga_13

Supta virasana (o uso da bandagem é opcional) – 5 mins

Supta matsyendrasana (pernas de padmasana se possível, ou pernas de swastikasana como na imagem, a bandagem é opcional) – 2 mins

Adho mukha virasana

Janu Sirsasana

Trianga mukhaipada paschimottansana

Ardha badha padma paschimottansana
(não está demonstrado em fotos)

Paschimottansana

Baddha konasana (com blocos e corda, ou pode ser feito com as costas na parede – que não está demonstrado em imagens) – 5 mins

Upavistha konasana (centro)

Upavistha konasana (esquerda e direita)

Poses supinadas para esse período

Supta baddha konasana – 5 mins

Dwipada viparita dandasana com bolsters no backbender (baleia)– 5 mins

Setubandha sarvangasana –5 mins

Savasana – 10 mins

Sequência para Dias 3 até o fim da menstruação

supta_virasana_periodo_menstrual_yoga_13

Supta virasana (o uso da bandagem é opcional) – 5 mins

Adho mukha virasana

Adho mukha svanasana (with or without ropes with head support) – 2 mins

Uttansana (can be done without ropes, head on blocks) – 2 mins

Posturas utilizando o cavalo ou a parede

Trikonasana

Virabhadrasana II

Ardha chandrasana

Parsvottansana

Prasarita Padottanasana

Flexões para frente com apoio

Janu Sirsasana

Trianga mukhaipada paschimottansana

Ardha badha padma paschimottansana
(não está demonstrado em fotos)

Paschimottansana

Baddha konasana (com blocos e corda, ou pode ser feito com as costas na parede – que não está demonstrado em imagens) – 5 mins

Upavistha konasana (centro)

Upavistha konasana (esquerda e direita)

Poses supinadas para esse período

Supta baddha konasana – 5 mins

Dwipada viparita dandasana com bolsters no backbender (baleia)– 5 mins

Setubandha sarvangasana –5 mins

Savasana – 10 mins

Tradução livre: Ana Paula Vaz dos Santos
Revisão: Roberta Maran
Revisão final e publicação: Jonathan Batista

Texto original publicado aqui

Participação da Professora Analu Matsubara em matéria sobre Cancer na Revista VivaSaude!

Em participação recente para a revista VivaSaúde a professora Analu Matsubara instruiu como a prática de Yoga pode auxiliar no tratamento dos sintomas relacionados ao câncer.

A participação da professora Analu pode ser vista revista física (matéria disponível nesse link)

Uma segunda opção é a ioga, que trabalha corpo e respiração. “O câncer traz efeitos colaterais como perturbações de humor, ansiedade, fadiga, dores e sensações de isolamento. Um programa de ioga buscará identificar os sintomas que mais afetam o bem-estar do paciente”, descreve a educadora física Ana Luisa Matsubara (SP)

Yoga-enxaqueca

10 Formas de driblar a dor de cabeça

Em entrevista recente para a revista VivaSaúde a professora Analu Matsubara instruiu como a prática de Yoga pode auxiliar na redução de dores de cabeça.

A participação da professora Analu pode ser vista na matéria condensada no site da revista (nesse link) e também na revista física (matéria disponível nesse link)

O yoga cria, por meio de suas posturas (asanas) e práticas de respiração (pranayamas), uma descompressão musculoesquelética e nervosa.“A descompressão advinda, por exemplo, de um alongamento da espinha, alivia tensões e cargas que favorecem a diminuição de quadros ligados às dores de cabeça em geral”, destaca Ana Luisa Matsubara, instrutora do Estudyo Iyengar Yoga São Paulo. Ao praticante iniciante, são indicadas duas aulas por semana com duração mínima de 1h30. “É recomendado que o que foi assimilado em sala de aula seja replicado diariamente por 20 a 30 minutos”, complementa.